9 de setembro de 2012

Ontem era Sol

Nublou o céu
as cores, o dia
Nem réstia de sol
Nem resta o que havia
Nublou a vida
a letra, a poesia
E resto que é só
o fim da alegria.

2 comentários:

MisterCharmoso disse...

Belo poema , gostei de ler

Paulo Francisco de Araujo disse...

Este lixo é um luxo. Muito bom este blog!
Um grande abraço.