5 de julho de 2011

Poesia Para Meu Tio

Domina as letras
e desenvolve os passos
onde o papel é palco
a tinta é rastro.

Conduz a palavra
numa valsa e dança
E dança
A dança que corre em si.

Assim domina os passos
e desenvolve as letras
Assim a valsa dança
que corre no papel

Agarra a letra
e devolve um verso
Floreia a dama frase
Salta, desliza, gira
não a deixa cair.

No final,
está sua dama posta no palco
em suor
como flor no orvalho.
É pequena, delicada
Esquecida no papel.

Apaga a última luz
Respira, 7... 8.
Acabou...

É poesia.

3 comentários:

Um brasileiro disse...

oi. tudo blz? estive por aqui. muito legal. apareça por la. abraços.

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Eu tenho uma porção de tio.

Dico da Fonseca disse...

Reciclaria você
e o transformaria
em boneca de pano
ou de papel machê!

Abraços em passos de valsa!