1 de agosto de 2008

Placebo

Era uma vez, num vilarejo bem distante, um povo que vivia doente. Todas as pessoas, idosos, crianças e adultos, sentiam algum tipo de dor e sempre que um vizinho falava para outro que sentia alguma dor um pouquinho diferente, o outro logo se ardia no mesmo problema. E assim as doenças se espalhavam.

Até que um dia, um dia feio como todos os outros pra quem se sente doente, um moço andante que queria parar de andar apareceu por lá a procura de uma cama quentinha debaixo de um teto de gesso. O povo doente não deu a mínima importância para o ex-andante, já tinham as dores que lhes preocupavam demais e não tinham tempo para acolher alguém, por mais são que fosse.

O ex-andante achou um pedaço de terreno e construiu a própria casa, sem teto de gesso e cama quentinha, mas um lar aconchegante. Arrumou um emprego em uma mercearia perto de casa, a qual há alguns meses não era vista funcionando porque o dono e o filho sofriam de trabalhite minimus possibillis e nunca podiam trabalhar na mercearia, pois, logo que abriam as portas, a doença atacava.

Não demorou muito para que o ex-andante tivesse vontade de andar para longe daquele lugar. Mas agüentou firme. Não ganhava muito dinheiro na mercearia porque as pessoas sempre estavam mal demais para comprar alguma coisa, então resolveu montar o seu próprio negócio. Roubou da mercearia alguns sacos de farinha de trigo e ficou dias e mais dias trancado em casa, engenhando e experimentando coisas. Fez uma grande faixa de pano e nela escreveu com letras garrafais: DR. ANDANTINO TEM A CURA PARA TODO O MAL , pendurou na fachada de sua casa e esperou, andando de um lado para outro, que alguém aparecesse.

É claro que demorou muito para que alguém visse a faixa porque isso aconteceu bem em época de epidemia e em época de epidemia não tem quem ouse nem dar uma espiadela pela janela. Mas quando começaram a ver foi um alvoroço só! Ninguém tinha coragem de entrar, mas todos esperavam muito da novidade. Alguns até desmaiavam de ansiedade.

Dona Carmélia, que sofria de Curiosite Aguda estava quase batendo as botas e já tinha tido três ameaças de infarto de tanta curiosidade, arriscou, entrou na casa de Dr. Andantino e saiu curada!

Depois do acontecido, formou-se fila em frente à casa de Dr. Andantino e todos queriam a cura imediata para seus problemas. Todos que entravam lá saiam com uma caixinha de pílulas caseiras e, em menos de uma semana, a doença ia embora para nunca mais voltar.

Volta e meia Dr. Andantino comprava mais alguns sacos de farinha de trigo na mercearia, que agora, só não abria aos finais de semana para descanso.

2 comentários:

Walter disse...

Qualquer ligação com o mundo real é pura coincidência, né? :P
Que saudades de você, Melu...

Herói Local ­ disse...

Estou curado!