10 de março de 2008

A Menina e Seu Tempo

Era uma vez uma menina que estava sempre à frente do tempo.
Podia ir e voltar no tempo sem que os outros notassem. Mas como não tinha domínio das horas da vida, e com medo de ficar para trás, resolveu adiantar-se sempre.
Ela era a tendência nas brincadeiras, na moda, no comportamento, no jeito de pensar.
Até que um dia, a menina passou a não gostar mais de estar sempre adiantada. Mas, pois é, meu amigo, com o tempo não se brinca assim e isso faz parte das coisas da vida que nunca podem ser mudadas.
Sempre que ela prestava atenção, já estava fazendo o que, no tempo certo, ainda estava em cogitação e, quando ela achava que estava entrando nos eixos do tempo, via-se passando por alguma fase que correspondia a anos mais tarde.
Sem o domínio disso, as coisas começaram a passar muito mais rápido, começaram a escorrer por suas mãos como areia, começaram a ficar totalmente fora do controle! E quanto mais ela queria que o tempo parasse, mais ele corria fazendo-a estar na frente dele.
O traiçoeiro tempo que já havia visto a menina fazer de tudo e mais um pouco, levou-a para algum lugar onde quem é vivo nunca aparece e lá a deixou com os olhos cansados e velhos de sofrimento, porém, com nem 40 anos completos...

3 comentários:

lucelia disse...

só que antes de mais nada a menina não sabia que sabia que ela era a DONA DO TEMPO!!!!!!

Fergath disse...

oi moça do tempo. dãr

visitarei com frequência :)

Kabs disse...

o tempo, o tempo

http://noitesmaldormidas.arteblog.com.br/47404/Vida-Tempo-poema-de-Viviane-Mose/

bjo