5 de abril de 2007

Sono

- Existe arte mais bonita que dormir? - perguntava-se todos os dias antes de deitar, mesmo quando apenas para tirar um cochilo.
- Nenhuma! - respondia sua consciência.
- Todas. - respondia a inconsciência.
Enquanto os outros cantavam, dançavam e bebiam lá fora, por alguma razão que nem faz sentido explicar, alegria, quem sabe. Lá estava ele afofando uma almofada ou um travesseiro.
- Existe coisa melhor que dormir?
- Não! - respondia a consciência.
- Olhe pela janela. - respondia o subconsciente.
Enquanto as crianças brincam de correr atrás de pombas em praças na Itália, os sonhos correm atrás de um dorminhoco e o fazem lembrar de antigos desejos, antigos fatos.
Nostalgia?
Preguiça de ver novos horizontes?
Falta de vontade de viver?
Sono.
Sono e o imenso desejo de apagar as luzes ou fechar as cortinas, seja dia ou noite, seja a hora que for.
Enquanto uns saem trabalhar e outros procuram, enquanto as crianças vão para escola aqui ou na Itália, enquanto acordam em qualquer lugar. Lá vai ele dormir mais 5, 10, 20 minutinhos e deixar seus sonhos aparecerem como a imagem na tv, fazendo-o lembrar de antigos desejos, antigos fatos... dos orgasmos da ex-esposa.

Um comentário:

isaa disse...

bom mesmo deve ser dormir para sempre!